Processos colaborativos do desenho técnico nas empresas (Part1)

Este post pretende esclarecer como os desenhadores colaboram e como reflete no processo do desenho mecânico. Através de conversas de projetos de desenho mecânico de produtos alguns desenhadores industriais e de engenharia de fabricantes de produtos de consumo. Primeiro tenta-se identificar os processos do desenho técnico individual a partir dos dados da conversa. Em segundo tenta-se comparar e juntar os processos do desenho em processos colaborativos utilizando um método em mosaico. Finalmente a simplificação dos processos colaborativos para criar modelos de processos representativos. Como resultado pode-se apresentar quatro tipos de processos típicos de desenho de produto colaborativo e suas características: Processo de liderança orientada pelo conceito; Liderança de processo combinado fora-dentro; Liderança de processo dentro-fora; e Processo por sinergia.
A contribuição integral do desenho técnico mecânico na engenharia e do desenho industrial é essencial para lançar produtos de sucesso no mercado. O desenho do produto dificilmente pode ser explicado a partir duma perspetiva mono disciplinar, mas, no entanto, é conhecido que o desenho de engenharia e o design industrial têm práticas de desenho consideravelmente diferentes e suas abordagens do desenho são de certa forma, opostas entre si. O papel dos desenhadores industriais inclui o aprimoramento da experiência do utilizador dum produto e o desenvolvimento das suas formas e interface externas. Eles empregam conhecimentos e habilidades em estética e ergonomia. Sob a interação com desenhadores industriais, os desenhadores de engenharia participam na implementação do conceito do desenho de desenvolvido por desenhadores industriais. Os desenhadores técnicos de engenharia fornecem um meio para o produto estar funcional, confiável e produzido. Isso leva a diferentes abordagens entre os desenhadores industriais e os desenhadores técnicos de engenharia.
Por vezes pode-se argumenta-se que os desenhadores técnicos de engenharia utilizam uma abordagem externa, desenvolvendo da função à aparência, enquanto que os desenhadores industriais desenvolvem uma abordagem interna, desenvolvendo-se da aparência para as funções. Com essas noções pode-se propor duas estratégias de desenho a seguir: a primeira é a estratégia de dentro-fora que é definida como a concepção das partes internas da parte inicial funcional e, portanto, restringindo a forma externa, e a outra é a estratégia de fora-dentro, aonde o involucro é definido primeiro e assim restringindo as partes internas. Esta estratégias de desenho referem-se a processos de desenho combinados que uma empresa deve tomar para uma finalidade específica com condições específicas, mas, no entanto, pouco se sabe a partir das evidências empíricas sobre como essas duas estratégias são aplicadas em projetos na indústria. Tem havido poucas tentativas de visualizar o processo de desenho a partir duma perspetiva integrativa de desenho técnico de engenharia e o desenho industrial. Nesse sentido tenta-se observar os processos do desenho colaborativo de ambas as disciplinas num contexto industrial.
Algumas questões foram que tipos de processos de desenho colaborativos do produto existem e em que situações leva uma empresa a adotar um tipo particular do processo. Com base nas características dos dois grupos de desenhadores pode-se supor que haverá diferentes tipos de abordagens do desenho de fora-dentro e de dentro-fora.
Pode-se assumir a abordagem fora-dentro seria caracterizada por um processo de desenho liderado pelo desenho industrial, gerando assim o papel ao desenhador industrial como um requisito e provedor de critérios, e a abordagem de dentro-fora seria um processo do desenho liderado pela técnica da engenharia, onde os desenhadores de engenharia restringem a gama de tarefas dos desenhadores industriais, fornecendo requisitos iniciais para as responsabilidades dos desenhadores industriais. Para ter sucesso em mercados altamente competitivos, as empresas devem criar processos colaborativos de desenho industrial e desenho técnico de engenharia adotando inicialmente e adequadamente abordagens fora-dentro e dentro-fora para adequar suas situações e objetivos.
Este post tem dois objetivos: primeiro, esclarecer a forma do processo original de desenho colaborativo de produtos aplicado na prática e, em segundo lugar, determinar diferentes tipos de processos utilizados para diferentes propósitos em diferentes condições. Para esses propósitos foi realizado encontros em profundidade com desenhadores industriais e desenhadores de engenharia de seis fabricantes de produtos de consumo. Determinou-se que os processos de desenho de produtos de cada empresa utilizam um método em mosaico, em que os processos dos desenhos individuais são extraídos dos dados das conversas e foram combinados para concluir um processo colaborativo. Como resultado, pode-se identificar quatro tipos de processos típicos de desenhos colaborativos de produtos e suas respetivas características.
O termo recorrente desenho de produto colaborativo ao longo deste post refere-se a um desenho de produto criado pela contribuição colaborativa do desenho industrial e o desenho de engenharia. Em particular em contextos corporativos o desenho colaborativo de produtos envolve uma série de atividades de desenho como a criação de conceitos iniciais de produtos, decisões sobre especificações internas e o desenvolvimento de formas externas e estrutura interna. Por conseguinte o processo de concepção de produto colaborativo designa o processo de concepção do produto no qual o desenho industrial e o desenho de engenharia estão diretamente envolvidos nas atividades de desenvolvimento de produtos.
O desenho industrial neste momento diz respeito principalmente ao desenvolvimento das formas externas, interfaces e experiência do utilizador de produtos de consumo, excluindo o desenho gráfico ou de comunicação. O desenho de engenharia desenvolve soluções técnicas para colocar e operar peças funcionais internas em produtos de consumo e define peças internas e externas que constituem em produtos de forma que permite produção em serie, pode-se definir que os engenheiros envolvidos em tais atividades como desenhadores de engenharia.
Este post consiste em três partes: A primeira parte descreve a abordagem da investigação em detalhe. A segunda parte apresenta os processos típicos do desenho colaborativo de produtos e suas características como resultados. Finalmente o resume dos resultados e discussão e as implicações e contribuições para a literatura do desenho técnico.
1 Abordagem da investigação
Para investigar os tipos de processos do desenho colaborativo de produtos e condições relacionadas tentou-se adotar uma abordagem teórica fundamentada na aquisição e análise de dados e um método mosaico que planeamento para reconstruir os processos do desenho colaborativo entre os desenhadores industriais e os desenhadores de engenharia. A abordagem da teoria fundamentada é amplamente utilizada nas ciências sociais como uma metodologia sistemática para estabelecer a teoria para áreas menos estudadas, enquanto que na investigação de desenho técnico tem sido adotada há muito tempo. É utilizada uma lógica indutiva, começando com a adquisição de dados, principalmente através de conversas em profundidade e/ou observação. Na fase de classificar, existem geralmente duas estratégias, uma delas é adquirir e classificar referências significativas a partir dos dados e agrupá-los em categorias das respetivas classificações quando os tópicos da investigação não são claramente definidos. A outra é usar categorias das calcificações pré-definidas em linha com um tema particular para identificar referências relacionadas quando aos tópicos da investigação que são claramente definidos. A última estratégia é utilizada porque o processo do desenho foi amplamente estudado. Adotando assim um método similar para investigar os processos do desenho em cinco possíveis empresas. A aquisição de histórias sobre processos de desenho colaborativos na indústria e identificar temas chave do desenho colaborativo em projetos.
Inicialmente tentou-se realizar conversa em profundidade com os desenhadores individualmente e adquirir suas histórias sobre projetos de desenho técnico. Para evitar uma possível distorção devido à falta de confiabilidade ou possível imprecisão das retrospetivas dos assuntos abordados. Podem ser adotamos três critérios para a seleção de alvos da investigação: Primeiro múltiplas empresas num domínio de produto similar; Segundo múltiplos participantes dos departamentos do desenho de engenharia e industrial; E Terceiro desenho já concluídos durante todo um ciclo de desenvolvimento do produto. Havendo definido primeiro o critério para melhorar a aplicabilidade dos resultados da investigação, compreender e analisar contextos dos desenhos técnicos melhoram a aplicabilidade dos processos e métodos do desenho técnico. Assim, investigar várias empresas em contextos de projetos semelhantes poderia proporcionar melhores hipóteses de aplicar os resultados da investigação. Com o segundo critério, os dados com perspetivas diferentes são complementados uns aos outros para definir qualquer viés potencial. Por fim em conversas retrospetivas o processo do desenho técnico pode ser determinado através da adquisição e análise de histórias de projetos de desenhos técnicos que já estão completos durante todo um ciclo de desenvolvimento de produto.
Para reconstruir os processos do desenho de produtos com base nos dados das conversas, primeiramente pode-se identificar elementos do processo e então desenham-se os processos de projeto parcial que os desenhadores individuais praticavam. Em seguida combinam-se todos os processos parciais em cada empresa em processos de desenho colaborativo de produtos utilizando o método mosaico. Após a construção de todos os processos do desenho de produtos colaborativos detalhados, simplificámos os mesmos com blocos de processo para identificar os tipos de processos dos desenhos típicos. Finalmente pode-se visualizar os modelos do processo dos desenhos, podendo ser observar na IMAGEM01 como demonstração da investigação.
IMAGEM01
IMAGEM01
Os processos de desenho técnico atuais e suas características em relação ao contexto podem ser determinadas a partir dos desenhos atuais do projeto, que podem ser diferentes dos processos de desenho documentados nas empresas. Comparando os dois irá fornecer insight, mas, no entanto, não se pode recolhê-los, porque são considerados confidenciais ao exterior. Em vez disso questiona-se as pessoas se sua empresa possui um processo de desenho técnico padrão documentado e se é diferente dos atuais processos dos desenhos.
1.1 Conversas aprofundada
1.1.1 Seleção das empresas
Continuação – https://rishivadher.blogspot.pt/2017/01/processos-colaborativos-do-desenho.html
Enviar um comentário